Tudo sobre Marketplace: o que é, quais as vantagens e como anunciar?

Você sabe o que é marketplace? Descubra tudo sobre como anunciar e começar a vender em um dos principais canais digitais.

Carrinho de compras e sacola de presentes espalhados em uma superfície azulada

Talvez, nem todo mundo saiba o que é marketplace, mas com certeza, já comprou em algum. Mesmo que não tenha comprado nada, sabe pelo menos um dos principais nomes de cor.

Ainda ficou pensando se realmente sabe o que é marketplace? Vou ajudar a refrescar sua memória: Mercado Livre, Shopee, Amazon, B2W (Submarino, Americanas, Shoptime) e Via Varejo (Casas Bahia, Extra, Ponto) são alguns dos exemplos mais famosos.

Mas por que eles são considerados marketplaces?

Bom, neste artigo você vai entender o que é marketplace, quais as vantagens e desvantagens, quais as taxas de funcionamento e como anunciar seus primeiros produtos.

Boa leitura… E boas vendas!

O que é Marketplace?


Imagine uma feira ao ar livre, onde você costuma – ou costumava – comprar laranjas, bananas, alface ou aquele pastel quentinho.

Cada barraca pertencia a uma pessoa ou distribuidora diferente, certo? Você, por sua vez, transitava livremente entre todas as barracas e escolhia os produtos que quisesse, sem se preocupar que o “concorrente” estava olhando. É esse o conceito de marketplace.

Quando te perguntarem o que é marketplace, você pode responder assim ou de uma forma mais técnica:

O marketplace é um espaço na internet onde estão reunidas diferentes empresas para vender seus produtos. Os compradores (usuários) têm à disposição produtos com diversos preços, características e valores de frete.

Basicamente, funciona assim: um marketplace já estabelecido no mercado cede um espaço e toda experiência com vendas para outras empresas. Em troca, essas empresas pagam uma comissão pré-estabelecida por cada venda efetuada ou outro modelo de contrato acordado.

Agora fez sentido quando você se questionava sobre o porquê de uma mesma camiseta custar R$20, R$25 e R$30 em um mesmo site, né?

Parece bom, mas será que vale a pena vender em marketplace?

Quais as vantagens e desvantagens de vender em marketplace?

Nem tudo é perfeito, já diriam os maiores pensadores contemporâneos. Com o marketplace é a mesma coisa: existem prós e contras, vantagens e desvantagens. Quer descobrir se vale a pena para o tipo de negócio que você tem?

Vantagens

  • Popularidade

Pelo fato de reunir milhares de produtos de diferentes categorias e segmentos, ele acaba atraindo um grande volume de usuários. Sendo assim, o lojista tem maior visibilidade e chances de novas pessoas conhecerem sua marca.

  • Investimento de marketing

Um dos maiores investimentos de uma empresa, além da compra de produtos nos fornecedores está o investimento em marketing. Ou seja, o impulsionamento de postagens das redes sociais ou anúncios nos principais buscadores (Google, Yahoo!, Bing etc).

Por que esse custo é reduzido? Exatamente porque o marketplace dono do espaço é quem faz toda essa divulgação. Afinal, além de ter um nome já conhecido no mercado, ele também possui uma verba para publicidade muito maior.

Banner que leva o usuário para outro texto chamado como divulgar seu e-commerce

  • Ponto de vendas adicional

Se você já tem uma loja, vai ter a oportunidade de ter um novo ponto de vendas digital. Mesmo que não tenha, não terá que arcar com os custos de um e-commerce do zero porque o marketplace faz muito bem esse papel.

Ou seja, você aumenta suas chances de alcançar cada vez mais compradores dos seus produtos.

Desvantagens

  • Comissão da plataforma

As taxas são um dos pontos que mais pode pesar na sua decisão entre anunciar no marketplace ou não. Ao escolher vender em um marketplace, você precisa levar em consideração todas as regras impostas e até mesmo o aumento de taxas.

Sendo assim, você deve identificar quais são esses custos e o que poderá ser feito para não perder seu lucro. Além disso, é preciso pensar nas ferramentas necessárias para integrar estoque tanto do e-commerce quanto do marketplace.

Tenha a sua própria planilha de estoque para conseguir administrar seus produtos. Com isso, você terá de forma organizada quais produtos estão saindo tanto do e-commerce quanto do marketplace.

  • Concorrentes no mesmo site

Diferente do seu próprio e-commerce, no marketplace todos ficam muito próximos uns dos outros. Dessa forma, se você ainda não tem uma marca conhecida, é preciso trabalhar melhor seus preços ou a reputação.

  • Identidade de marca

No marketplace você não pode personalizar sua página de acordo com a identidade da marca da mesma forma que faria no e-commerce. Talvez, esse seja um fator que não ajude os usuários a identificar sua loja de primeira.

Como anunciar no marketplace?

Agora que você já sabe o que é marketplace e suas vantagens e desvantagens, chegou a hora de saber como anunciar. Por anúncio, entendemos o ato de cadastrar seus produtos na plataforma. Ou seja, não tem nada a ver com fazer anúncios pagos como, por exemplo, no Google ou Facebook.

Veja algumas dicas:

1. Verifique a reputação da plataforma

Sabe aquele ditado: “diga-me com quem tu andas e te direi quem és.”? Então, no marketplace a lógica é a mesma. Por quê?

Porque se o local onde você realiza suas vendas não tem uma boa reputação ou então não tenha a ver com o seu público, você está entrando em uma furada.

Uma vez que sua reputação pode estar atrelada à reputação do marketplace, você pode se prejudicar. Não digo apenas no sentido de não ser um marketplace famoso, mas como eles realizam os atendimentos ao cliente em geral. Se é uma plataforma que demora dias para responder ou se tem processos muito burocráticos, pense duas vezes.

Para facilitar esse processo, deixo aqui uma lista com alguns marketplaces que você pode escolher. Lembrando que a Octadesk não tem qualquer relação com estas empresas, o conteúdo deste artigo é meramente educativo.

  • Mercado Livre: um dos maiores marketplaces da América Latina, possibilita a venda de produtos de diversas categorias sem ter um CNPJ para começar. Saiba mais sobre o funcionamento do Mercado Livre.
  • B2W: responsável pelas marcas Americanas.com, Submarino, Shoptime, e Sou Barato, você pode se cadastrar e vender em todas as lojas do grupo. Para efetivar o cadastro é preciso de CNPJ. Veja como vender na B2W  aqui.
  • Shopee: marketplace que caiu na boca do povo, a Shopee é especialista na venda de produtos de baixo valor. Saiba tudo sobre como vender na Shopee aqui. Não é necessário ter CNPJ.
  • Amazon: para vender na Amazon não é mandatório ter um CNPJ válido, apenas CPF, conta de e-mail, conta bancária ativa e cartão de crédito internacional (Visa, MasterCard ou Diners). Confira as informações completas sobre vendas na Amazon aqui.
  • Via Varejo: administradora dos e-commerces Casas Bahia, Extra e Ponto, para vender na Via Varejo é necessário ter um CNPJ.
  • Dafiti: um dos maiores marketplaces de moda. Na Dafiti você não precisa fazer nenhum investimento inicial – se não vender, não paga nada. A Dafiti conta com o Dafiti Envios para realizar as entregas. É preciso CNPJ. Saiba como vender na Dafiti aqui.
  • Zattini: parte do grupo Netshoes, o marketplace é o segundo maior e-commerce de moda e também não oferece preços fixos de adesão. Para vender da Zattini, clique aqui. É preciso CNPJ.
  • Netshoes: o maior e-commerce de moda esportiva. Oferece antecipação de pagamentos. Você vai precisar usar o seu CNPJ. Descubra como vender na Netshoes aqui.
  • Magalu: um marketplace que usa a tecnologia, nele você pode integrar até com lojas físicas. CNPJ requerido. Veja como vender na Magalu aqui.

2. Verifique se o público-alvo faz sentido

Existem plataformas de marketplaces específicos que têm a ver com o seu nicho de mercado. Por exemplo, a Dafiti é conhecida por moda, mas também vende cama, mesa e banho. Mas se você for vender um cobertor, será que terá o mesmo sucesso de quem vende uma jaqueta, por exemplo?

3. Calcule o valor do investimento

Você vai precisar levar em consideração: é necessário calcular cada investimento. Crie uma planilha e coloque informações coletadas sobre cada um dos marketplaces.

Quais são as taxas fixas e variáveis? Qual é o custo do frete? A plataforma cobra comissão em cima do frete? Enfim, verifique todos os possíveis custos envolvidos para saber se está saindo no lucro ou apenas está sendo “elas por elas”.

4. Separe sua documentação

Para que você otimize seu tempo, tenha em mãos documentos como:

  • Comprovante de Inscrição Estadual
  • Declaração do regime de tributação
  • Consulta Pública ao Cadastro do Estado (SINTEGRA – ICMS)
  • Alvará de funcionamento do estabelecimento (localidade) que irá disponibilizar produtos
  • Certidões Negativas de Débitos Tributários, Trabalhistas, Débitos Previdenciários, Falência e Concordata;
  • Certidão de distribuição de ações e execuções cíveis e criminais da Justiça Federal
  • Contrato Social atualizado, entre outros documentos.

Agora você vai ver algumas dicas sobre como vender mais no marketplace escolhido.

Como aumentar as vendas no marketplace?

Embora a concorrência seja grande nas plataformas de e-commerce, você pode se sobressair. Dê uma olhada nas dicas abaixo:

1. Tenha preços competitivos

Se você está começando, vai precisar ter um preço competitivo. Ainda assim, não pode ter um preço tão abaixo, se não as pessoas vão começar a pensar que há algo errado.

Por isso, analisar os concorrentes que vendem dentro da plataforma escolhida também irá te ajudar. Além disso, vale a pena pesquisar outros aspectos, por exemplo, valor do frete, tempo de entrega e variação de preços.

2. Otimize o seu conteúdo

Mostre diversos ângulos dos produtos, tenha imagens com boa qualidade. Além disso, foque em dar descrições completas sobre os produtos, até mais do que os próprios concorrentes. Mas lembre-se: as informações que você colocar devem ser úteis para os consumidores.

Uma boa dica também é categorizar bem os produtos, de modo que ajude os usuários a te encontrarem quando fizerem filtros.

Não podemos deixar de fora a criação de bons títulos, que é o que vai ajudar o usuário encontrar sua loja. Se possível, faça pesquisa de palavras-chaves mais usadas em ferramentas como AnswerThePublic, Ubbersugest, Google Trends e SemRush.

3. Conquiste boas avaliações

Sempre que realizar o envio de uma compra, mande uma cartinha junto e peça para o cliente avaliar sua loja no marketplace.

Se você conseguir conquistar elogios dos seus clientes, sua reputação vai melhorar muito, consequentemente, suas vendas no marketplace vão aumentar também.

Vale a pena vender no marketplace?

Vale a pena ou não vender nos marketplaces? Até aqui você viu algumas informações que podem te nortear, mas a decisão final só cabe a você.

Vender nos marketplaces não é segredo, mas você precisa reunir bastante informações e fazer muitas análises. Afinal, é preciso considerar os dois lados da moeda. É bom pegar carona no sucesso do marketplace, mas também é importante pensar no quanto isso vai custar.

Como qualquer estratégia, é vital analisar o máximo de dados possível. Se você não analisar, pode fazer 100, 200, 1000, 10.000 vendas mas não vai saber ao certo se realmente funcionou. Teste fotos, títulos, preços e até promoções diferentes. Não importa o que for vender, a palavra de ordem é: teste!

 

 

 

Você pode gostar também

Você também vai gostar de ler